Pages

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Festa surpresa




Dizem que o mês de agosto é o mês do desgosto, mas acredito que é só uma lenda ou crendice... Vai ver inventaram isso porque rima com desgosto, se tivesse outro mês que acabasse com "osto", por exemplo: "junhosto", talvez esse seria o mês do desgosto!

Mudando um pouquinho o foco do texto, conheço várias pessoas que fazem aniversário nesse mês e uma delas é a mulher que me carregou por nove meses , minha mãe.
Para fugir das comemorações que costumamos fazer, esse ano resolvemos sair pra almoçar e depois pegar um cineminha, só nós 4: Eu, minha mãe e meus irmãos( Natália e Daniel).
Acordamos de manhã cedo, minha mãe ainda dormia. Fui ao mercado e quando cheguei lá me perguntava que tipo de gente era capaz de acordar as 7h30 numa manhã de domingo pra fazer compras no mercado.
Enquanto isso minha irmã,que havia dormido poucas horas por causa do show que havia ido na noite passada, estava no auge de sua preguiça e arrumava tudo enquanto eu não chegava.
Depois que colocamos toda a mesa do café, fomos acordar a aniversariante, cheguei lá e minha mãe estava capotada na cama. A naty que estava doida pra voltar a dormir disse:
- Minha mãe tá dormindo ainda, mais tarde quando ela acordar a gente toma cafá com ela.
As entrelinhas eram: -Cara to caindo de sono, vamos dormir que tá foda!!!
Ai pensei: -Minha mãe sempre acorda cedo, se duvidar ela tá só esperando a gente.
Ao primeiro sinal de cosquinha no pé ela acordou e dei parabéns, claro.
Perguntei se ela estava dormindo e ela me disse que estava só esperando a gente pra tomar café.
Acertei na mosca, pensei eu.
Logo de manhã achei que mesmo querendo fugir da mesmice, aniversário não tem graça sem bolo, vela e família.
Nesse momento tive a idéia de fazer uma festa surpresa e convocar a família.
Liguei pro meu irmão que estava trabalhando e combinei que ele traria o bolo, falaria com as pessoas que estavam faltando, arrumaria a casa e faria a comida pra festa.
Achei até divertido pensar que ele, que nunca tem que se preocupar com os preparativos das festas aqui em casa, fosse ser o anfitrião dessa vez.
O plano era perfeito, o Dan chegou em casa na hora do almoço ligou do elevador pra avisar que estava chegando com o bolo e levamos minha mãe pro quarto pra entregar os presentes. Ele colocou o bolo dentro do armário de roupas e quando saímos pra almoçar ele disse que tinha esquecido a mochila e voltou pra colocar o bolo na geladeira.
Fomos comer numa churrascaria e assim que acabamos, meu irmão foi pro seu campeonato de futebol e nós pro shopping.
Chegando lá assistimos ao filme, o contador de histórias.O filme acabou umas 17h e a festa estava marcada pra 19h.
Ou seja, tivemos que enrolar bastante por lá, pra que minha mãe só chegasse em casa quando a surpresa estivesse pronta.
Essa missão foi mega difícil, já que minha mãe não é do tipo que bate perna em shopping. Ela ficava o tempo inteiro falando que queria ir pra casa e eu tinha que fingir procurar algo que não existia só pra ficar mais tempo no shopping. Entramos em todas as lojas, minha irmã tomou cafezinho, eu fui atrás de objetos imaginários e diversas vezes ao banheiro pra poder falar com meu irmão no celular e saber como estavam os preparativos.
Eram 19h e a família já estava toda lá em casa, meu irmão mandou mensagem avisando que quando estivéssemos perto era pra ligar e avisar para que assim ele pudesse apagar as luzes.
Quando estávamos voltando pra casa minha mãe cismou que tinha que passar na casa da minha avó e inclusive queria saltar do carro pra ir até lá. Eu fiz de tudo, inclusive liguei pra ela se certificar que não adiantava passar que não tinha ninguém em casa.
Ela caiu e fomos pra casa, chegando lá entramos e as luzes do apartamento estava todas apagadas.
Passamos pela portaria, primeiro minha irmã, depois eu e logo em seguida minha mãe. Demos boa noite pro porteiro e no último boa noite, o da minha mãe, o porteiro vira e fala:
- Tá cheio de gente ai em cima.
Minha mãe sem entender nada pergunta:
- Aonde? Lá em casa?
Ele não satisfeito em entregar o jogo diz:
- É, a festa vai ser boa!

Depois de horas bolando o plano perfeito: bolo, comida, vela e convidados no escuro esperando, o porteiro consegue estragar tudo com um único comentário.
Na hora tive vontade de enforcá-lo, mas me segurei e respirei fundo.
O plano era realmente perfeito, mas o porteiro nem tanto.
No fim das contas até que rendeu uma crônica e boas risadas. E é claro que combinamos que no fim da festa quando cada um descesse ia agradecer ao porteiro pela sua descrição.

4 comentários:

Rascunho das Palavras disse...

hahahahaha. Que sirva de aprendizado, pois eu aprendi assim.
Planos super bolados.. dão nisso...

N@ty Ferreira disse...

Ai ai...o Luiz é foda!!! por isso que prefiro o Francisco!!!
Não é claro que ñ faz sentido que se vc está fora de casa e a sua casa está cheia de pessoas, há algo estranho? como uma festa surpresa?!
aff
dei muitas risadas agora...
até hj nao comentei nada com o porteiro...

Taís disse...

Poxa Firanghi esse porteiro é gente Boa na moral kkkkkkk
Só batendo msm rsrsrs

Que bom que a festa foi boa ainda sim!
Qdo vem a terrinha novamente? Beijao
Tai

Juliana Ribeiro disse...

Nem me fale, com porteiro assim quem precisa de vizinha fofoqueira?rs
Acho que agora só volto p salvador em outubro!