Pages

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

"Bye-Bye tristeza não precisa voltar"


Adoro escrever quando tem alguma coisa me incomodando e essa é uma dessas ocasiões. Quando escrevo parece que eu dou um grito de desabafo, me sinto mais leve.


Não sei se todos sabem, mas estão abertas a inscrições para o próximo Big Brother, um reality show bastante popular entre os brasileiros.
Nessa onda começei a pensar nas pessoas que representam papéis dentro do programa com intuito de ganhar a bolada de um milhão.
Não me considero totalmente certa de nada, mas acho que não conseguiria ser uma pessoa que não sou.
Não digo que sou um poço de clareza, ou a pessoa mais sincera do mundo.Todo ser humano tem suas falhas e acredito que tanto o bem quanto o mal estão dentro da gente, mas enfim não vou me aprofundar nesse assunto. Voltando ao fato de ser quem não sou, acho que isso é uma característica que me coloca muito a deriva dos fatos.
Por mais que eu tente parecer que estou satisfeita não consigo se não estou feliz.
Se estou chateada com alguém não consigo disfarçar, pode ter certeza que se um dia eu brigar com você isso vai ficar bem escancarado, simplesmente porque não sei disfarçar. Não dá para transparecer algo que não sou ou estou.
Sou do tipo que busca auto-conhecimento e acima de tudo felicidade. Seja no trabalho, no relacionamento amoroso ou até mesmo na vida em família.
Sou do tipo que larga o emprego se estiver muito infeliz e que deixa de batizar um afilhado por não querer afirmar algo que não sou e não querer enganar ninguém..
Abrindo um parênteses nessa história toda: Sou budista e já fui católica por muito anos e por isso acho errado enganar a igeja afirmando que vou encaminhá-lo na vida cristã. Não desrespeito nenhuma religião seja ela qual for e por isso resolvi não batizar meu afilhado, mas me considero madrinha porque acho que posso dar o mesmo carinho e atenção, independente do título que terei.
Só quem me conhece bem sabe o quanto eu sofro, por não querer fazer certas coisas que vão contra meus princípios.Fico dias e dias com aquela angustia mal resolvida, sabendo exatamente o que deve ser feito, mas com medo de estar sendo precipitada.
Eu posso ser meio brega mas acho que temos que ter personalidade para saber o que somos e mente aberta pra aprender coisas novas. Não sou nenhuma bitolada e fechada no meu mundinho e tão pouco do tipo mimada que só faz o que gosta. Muito pelo contrário estou disposta a fazer coisas que não estou muito afim porque sei que podemos aprender até nas piores situações da vida, mas que nem Sandra de Sá dizia: "eu não estou aqui pra sofrer..."

4 comentários:

N@ty Ferreira disse...

oi Ju...
gostei muito do tema
e agora que já sei ql é a música tudo fez sentido! rs
beijos

h_zinhu disse...

bye bye tristeza mesmo!!! vc nao nascecu p/ chorar, nasceu p/ ser feliz, fazer caretas lindas e encantar todos a sua volta (inclusive eu)!!!
Beijo!

Rascunho das Palavras disse...

Excelente texto. Em varias frases... eu vi o meu jeito de ser..

Muryllo disse...

olha... realmente muito bonito;....
Congratulations...
Muryllo