Pages

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Internet


Após uma semana de férias com meu namorado, hoje voltei as atividades normais como monografia e busca por emprego. A semana foi ótima: passeio por petrópolis, foundee em mauá, cineminha, jantar no japonês, rio scenarium, jogo do flamengo no maraca( com vitória, é claro), sambinha em sta tereza, enfim perfeito! Já tô morrendo de saudades desse baiano...
Ainda que incrível, não quero mais férias todo dia, quero mesmo é colocar a mão na massa e trabalhar muito, até querer férias.
Lógico que a inspiração da minha monografia anda lenta para o primeiro capítulo, mas estou aliviada por ter caído com uma ótima orientadora e ter mudado um pouquinho o foco do meu tema.
Me inscrevi naquele yahoo grupos onde você se cadastra e recebe vagas por e-mail, só hoje apaguei quase mil e-mails da minha caixa. Li alguns que me interessavam, encaminhei alguns para amigos que estão na mesma situação e consegui finalmente esvaziá-la depois de uns dias sem entrar na internet. Ufa!!!
Acho que depois que a gente cria o hábito de entrar na internet não consegue mais viver sem, eu por exemplo, checo minhas 3 contas de e-mail quase todo dia, entro no blog de vez em quando pra dar uma atualizada, vejo meus scraps no orkut, leio notícias, resolvo pepinos, falo com meu namorado, procuro emprego, enfim faço muita coisa sem precisar sair de casa.
Assim como o celular acho que ficou impossível imaginar minha vida sem internet, é quase uma necessidade vital. Quando fico muito tempo sem entrar morro de medo de perder uma chance única, como já aconteceram algumas vezes.
Não considero um vício, mas hoje em dia quase tudo consigo resolver através do computador e uma das principais formas de comunicação se dá através da rede.
Apesar de seu alcance, existem diversas coisa que ainda é muito melhor fazer pessoalmente como: dar uma abraço, chorar no ombro de um amigo, dar um beijo, receber um olhar de compreensão, dar um boa gargalhada, beber um cerveja com os amigos, mergulhar no mar, discutir a relação, confidenciar um segredo.
É incrível a revolução que esse meio de comunicação nos trouxe, mas ainda não tem como substituir a sensação que o tête-à-tête nos proporciona. Adoro o friozinho na barriga de um beijo, a emoção ao encontrar alguém, o prazer de rir com os amigos, a alma lavada depois de entrar no mar e encontrar num olhar ou num sorriso o amor e a cumplicidade.

4 comentários:

karen disse...

Também penso assim, não sei mais como viver sem essa invenção.
Legal os seus textos, sempre leio seu blog.

h_zinhu disse...

Mtooooo bom esse texto!!! mas nada como te olhar, ver suas caras e bocas, te elogiar de linda, te dar aquele beijo de novela e, por fim, terminar todo esse prazeroso ritual com um abraço apertado, um sorriso e saber que demos mais um jeitinho na distância!

Juliana Ribeiro disse...

Obrigada Karen!!!!Fico mto feliz em saber..bjossss

Juliana Ribeiro disse...

lindo vc....continuo c saudades!