Pages

sábado, 7 de novembro de 2009

Bruxinha do amor

Tenho andado muito reflexiva ultimamente, vai ver devido aos últimos acontecimentos ou não acontecimentos.
Não sei se sou madura ou muito imatura e acho que nunca vou conseguir responder isso.
Cada dia que passa aprendo mais com a vida, ultimamente tenho até levado mais porrada e acho que é pra ver se aprendo direito, ou pra testar se ainda sou forte o suficiente.
Abrindo um parênteses aqui- Não acredito que ninguém tem só que apanhar pra aprender não, mas em determinados momentos da vida em que a gente acha que não tem mais nada de ruim pra acontecer vem alguma coisa ou alguém e completa essa imensa onda de coisas "boas" que te fazem repensar na vida.
Voltando a questão da maturidade, em alguns momentos me acho super madura pra lidar com algumas coisas e as vezes parece que ajo igual a uma menina.
Sou campeã em me arrepender, mas também sou do tipo orgulhosa pra pedir desculpas.
Lá se vão os dias em que me ergo das cinzas e os dias em que me afundo nelas. Sou bastante emocional, mas as vezes também tão racional que me passo por fria e se tem uma coisa que não sou é fria.
Até sou racional de vez em quando, principalmente quando estou magoada ai é o momento do vai ou racha. Ou eu vou no embalo da tristeza ou racho essa minha sentimentalidade e visto minha armadura da razão.
Sou tão sentimental que me magoo a toa de vez em quando, ajo por impulso, acredito no melhor das coisas e sou até bem sonhadora. Muitas vezes também sou pessimista, sou impetuosa e arrogante sem perceber.
Me considero uma mulher normal, que às vezes está bem e as vezes está pra baixo assim como outra qualquer. Aquela que uma dia está arasando no salto alto e que as vezes só quer se esconder debaixo de um lençol.
Os meus sentimentos?
Ah esses eu valorizo e prezo muito, são o meu maior tesouro. Lembro até de certa vez quando eu era adolescente e comprei uma bruxinha do amor. Me peguei um dia olhando pra minha bruxinha pedindo pra não amar mais ninguém e não sofrer por amor.
Não sei se meu pedido foi atendido, mas logo depois eu me senti mais fria, menos amável e menos capaz de amar e acreditar nos homens.
Chorei tanto depois pedindo pra que o pedido fosse revertido! Nossa como sofri só de pensar que nunca mais ia ter a sensação de me apaixonar novamente.
Hoje apesar de já ter sofrido por amor algumas vezes, jamais pediria para não amar novamente. Não conheci até hoje sentimento mais incrível do que esse...
Não tenho mais a bruxinha e nem lembro mais que fim dei a ela, mas hoje mais velha, talvez mais madura e num momento mais racional (porém não menos difícil) descobri que apesar de tudo ainda prefiro sofrer quantas vezes for do que nunca mais saber o que é o amor.

4 comentários:

-=|gä®ö†¡ñ|-|ä|=- disse...

Nossa, como me identifiquei com seu texto, somos bem parecidas, e nos sentimos de forma parecida.
É fogo, passamos por tantas situações na vida...
Mas o que não nos mata, nos fortalece.
=]
Parabéns pelo blog, mto bom!

Pedro Henrique Prado disse...

Heeey.......
Ultimamente tenho estado nessa mesma situação , eu ando tão revoltado que qualquer coisa me deixa triste , AMOR eu ando num nojo de ouvir isso , sabe?.....Eu me dedica faço de tudo pela pessoa e em troca "Não quero nada!".....Eu já pedi pra não amar também , mas nunca consegui me apaixono seguidamente!!
=)
Boom...Amei seu blog!!
Bjuu

pedroprado.blogspot.com

N@ty Ferreira disse...

quanta melancolia...
mas gostei! :)
lembrei da tal "bruxinha do amor"
que ficava lá no quarto....rs

beijos

Rafael Watanabe disse...

É o que eu sempre tento dizer: "Pior do que sofrer por amor, é sofrer pela falta dele".
Eu não vejo muito o que comentar num texto tão pessoal, tão "seu". Madura ou não, você esta num nível de auto-conhecimento que poucos estão hoje em dia, digo, pelo menos você se conhece mais do que eu me conheço. E talvez você pense "quem não se conhece?" e ache que o que eu estou escrevendo é pura bobagem, mas... eu não me conheço, eu identifico as partes de mim separadamente, o que é diferente. Eu não conseguiria escrever sobre um todo meu em um unico texto, coisa que você aparentemente pode conseguir. Bom, acho que é isso.

PS: eu ja pedi pra não amar tbm, mas só da boca pra fora, e não aconteceu isso. Aconteceu foi que eu amei tanto uma pessoa, uma vez, e ainda amo tanto, que não me existe mais ninguém senão ela... Mas não sou correspondido, e fomos afastados pela faculdade... agora eu sou "seco", tentando preencher o resto do meu ser com alguém, um "substituto" :B